sexta-feira, 26 de março de 2010

Como Agradar seu santo


Dividir o alimento com os deuses é ter a insigne hora de comer com eles, garantindo, dessa forma, a presença dos Orixás em nossas vidas e da refeição em nossa mesa.

Ao preparar as comidas de santo, deve-se observar os tabus de cada um deles. Por exemplo, o azeite de dendê nunca deve ser oferecido a Oxalá, o mel é proibido a Oxóssi, o carneiro não pode sequer entrar em uma casa consagrada a Iansã etc. Os filhos de santo devem observar todas as quizilas dos seus Orixás e, sendo parte do Orixá, também não podem consumi-las.

A ijoyé encarregada de preparar as comidas dos Orixás é a Ìyá Basé, um cargo outorgado apenas a mulheres de grande sabedoria e respeito junto à comunidade. Ela é a mãe que conhece todos os segredos da cozinha e que sabe que o principal ingrediente para uma boa comida de santo, capaz de alcançar as mais altas dádivas, é o amor.

O primeiro Orixá cultuado também é o primeiro a comer, Exu ele come tudo que a nossa boca come, as oferendas dadas ele mais comumente são os padês a base de farinha de mandioca branca, combinada com azeite de dendê ou mel de abelha, água, bebida alcoólica e acaçá vermelho feito com farinha de milho amarelo e enrolado em folha de bananeira. em algumas ocasiões também são utilizados pimenta, cebola, bife e moedas nas oferendas a este Orixá.

Nas oferendas a Ogum são dados inhame assado com azeite de dendê e feijoada.

Oxóssi come axoxó feito com milho vermelho cozido decorado com fatias de coco. Ele também aprecia frutas e feijão fradinho torrado. As comidas devem ser colocadas sob o telhado ou aos pés de uma arvore.

A oferenda dada a Obaluaiê é a pipoca. Utilizando areia da praia para estoura-las e enfeitando com fatias de coco.

Oxumare prefere que sejam dados em oferenda a ele, bata doce amassada e modelada em forma de cobra e também farofa de farinha de milho com ovos, camarões e dendê.

Ossaim prefere acaçá, feijão, milho vermelho, farofa e fumo de corda.

O acarajé de forma arredondada com dendê é a oferenda consagrada a Iansã, mas também é do agrado de Obá.

Obá também tem preferência por um bolinho de nome abará que consiste em uma massa de feijão fradinho temperado com dendê enrolado em folha de bananeira e cozido em banho-maria.

O omolocum, feijão fradinho cozido com cebola, camarões e azeite de oliva e decorado com ovos cozidos e descascados é de Oxum.

Iemanjá prefere peixe de água salgada, regados ao azeite e assados, milho branco cozido e temperado com camarões, cebola e azeite doce, manjar com leite de coco e acaçá.

A Nanã é oferecido efó, mungunzá, sarapatel, feijão com coco e pirão com batata roxa.

O amalá pertence a Xangô. O amalá (pirão de inhame) deve untar o fundo da gamela e sobre ele é colocado o caruru decorado com pedaços de carne, camarões, acarajé e quiabo, doze unidades de cada e enfeitado com um orobô. É válido lembrar que a oferenda deve ser servida quente.

Oxalufã só aceita comidas brancas e tem preferência por milho branco cozido e sem tempero.

O inhame pilado é oferenda de Oxaguiã.

As comidas oferecidas a Orixás Funfun, devem ser sempre colocadas em louças brancas.

em: Candomblé A Panela do Segredo – Comida de Santo

5 comentários:

  1. Fala meu irmao !
    Muito bacana o blog, mas como te falei nao sou de ficar lendo e acompanhando, hahaha...
    Bom, com relacao as comidas, gostaria de deixar aqui o que penso:
    Vejo que realmente e assim que funciona, uma divisao, dividir a comida, a bebida, o afeto, o amor, o bem querer. O real Santo nao espera uma troca (te dou isso e quero aquilo), mas espera apenas por um carinho verdadeiro, ter o coracao aberto. Este sim e o grande segredo de garantir a presença dos Orixás em nossas vidas e da refeição em nossa mesa.

    Grande abraco.

    Alexandre S.

    ResponderExcluir
  2. Fala meu irmao !
    Como comentei, nao sou de ficar participando de blogs, mas vim dar uma olhada, e gostei das informacoes que colocou.
    Vejo que conseguiu espor grandes informacoes, e acredito verdadeiramente nelas, e mais ainda, precisamos mostrar que o simples fato de fazer uma comida para o Santo pedindo algo em troca, e rediculo. A comida deve ser feita como um agrado, com amor, carinho, com bem querer, com a forca de nossas maos e dos nossos pensamentos.
    Sendo assim garantindo, dessa forma, a presença dos Orixás em nossas vidas e da refeição em nossa mesa.
    Grande abraco.
    Alexandre S.

    ResponderExcluir
  3. Mano o fato é que sim, sempre é uma troca, mas não no sentido de que, para ter algo e necessario dar algo. Muitas vezes a troca que o Orixa espera e muita das vezes um simples obrigado ou nada mais que um sua benção meu pai ou mãe.
    E como minha Tia ( Mãe de santo diz ) "Não deite como cavalo e levante como Burro".
    O que ela quer dizer com isso; Coloque seu joelho no chão e agradeça a Deus a seus Orixas pelo dia . Isso nada mais é que uma troca.
    Abraço

    ResponderExcluir
  4. Não adianta ir ao seu Ilê colocar no ronco ou na natureza a comida ou agrado ao seu Orixá e Guias, se ao menos depois vc ir lá levantar e dizer um obrigado, seja ele com a fala ou com a mente.
    Pois existe mano, pessoa que coloca comida na natureza e acha que sua obrigação com o santo esta lá concluída e não agradece, tem que ver que santo não e nosso secretario e muito menos aquele que se procura só quando a barriga dói. Orixá é Pai, amigo, irmão, colega, conhecido etc.
    Não se brinca com Orixá e sim se respeita.
    Eu há poucos dias ao passar por ma trilha na natureza me deparei com uma entrega, aparentemente deveria ter sido muito bonita quando foi entregue na natureza, mas a pessoa foi tão incapaz de colocar no pé de uma arvore, e infelizmente colocou no meio de um carreiro onde se podem passar pessoas, o qual não goste muito de nossa fé e vai com certeza criticar e maldizer aquele agrado.
    Agora pensamos.
    É justo você colocar um agrado para seu santo e depois alguém passar por ali e chingar.
    Quem é o errado da história?
    Você que fez o agrado em local onde as pessoas passam ou a pessoa que passou e viu seu caminho bloqueado por um monte de coisa.
    O qual a pessoa não sabe o que é alem de dizer que “já fizeram macumba no mato".
    Vamos pensa nisso também.

    ResponderExcluir
  5. Isso mesmo, a realidade e esta !
    Infelizmente muitos nao tem o minimo de respetiro, ou amor.
    Grande abraco.
    Alexandre S.

    ResponderExcluir